sexta-feira, 5 de julho de 2013

Bom dia


Eu ri

Foto: Curta-nos ~> Quem não cola, não sai da escola 
Recomendo = Um amor para toda a vidaFoto: pqpvi no face

VAMBORA DE HJ

  Vambora -Rj

A sugestão é começar o dia como os cariocas e dar uma saudável volta pela Lagoa Rodrigo de Freitas. Quando cansar, é só parar pra beber uma água de coco. Os tradicionais pedalinhos convidam para um passeio de puro romantismo e custa R$ 20, por meia hora.
Quando se começa a deslizar sobre a água é possível ver a paisagem de uma perspectiva diferente. O espelho d’água formado é o coração da zona sul do Rio de Janeiro.
Da lagoa, o turista tem ter acesso a bairros como Humaitá, Jardim Botânico, Leblon, Ipanema e Copacabana, a praia mais freqüentada por moradores e turistas.
No calçadão, quiosques vendem ingressos para o trem que leva ao Corcovado, com dia e horas marcados, no valor de R$ 46. Idosos acima de 60 anos e crianças de seis a 12 anos pagam meia. A compra também pode ser feita pela internet.

A estrada de ferro corta a maior floresta urbana do país e chega a uma das sete maravilhas do mundo moderno: o Cristo Redentor. Para ir ao Pão de Açúcar basta entrar na fila da bilheteria. Os bondinhos saem em intervalos de, no máximo, 20 minutos e custam R$ 53. Idosos e menores de 18 anos pagam meia.



Também há opções de programa com custo zero e benefício garantido. Conhecer a história da cidade e visitar exposições com obras de grandes mestres é uma delas. O roteiro começa na Praça XV, com uma visita ao edifício colonial Paço Imperial. Em frente, está o Centro Cultural dos Correios, na mesma calçada a Casa França Brasil e, do outro lado da rua, o Centro Cultural Banco do Brasil.
No Porto do Rio de Janeiro, a atração é o novo Museu de Arte do Rio (MAR). O passeio com guias pelo centro histórico é gratuito aos sábados, domingos e às terças-feiras nos seguintes horários: 10h30, 12h30, 14h30 e 15h30.


O ponto de encontro para as visitas a pé pela vizinhança é o Jardim Suspenso do Valongo, criado em 1906. No inicio do século passado, era um dos locais escolhidos pelos cavalheiros e damas elegantes da sociedade carioca para um passeio no fim da tarde. A restauração, concluída há cerca de um ano, recuperou a beleza do lugar. O roteiro segue pelas ruínas do cais e suas camadas de três séculos.
Quando anoitece, a dica é seguir para o bairro onde o Rio de Janeiro nasceu: a Urca.

Leia mais em :
http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2013/06/de-folga-mostra-os-passeios-preferidos-dos-cariocas-no-rj.html

VOCÊ PODE GOSTAR TBM :Vambora de hj
clique no link e veja o vambora especial cidades do Japão

Caixa Preta (a verade por traz dos mitos )






4 mitos sobre o cérebro humano
O cérebro, além de comandar tudo o que acontece no nosso organismo, é, sem sombra de dúvidas, um dos órgãos mais fascinantes do corpo humano. Contando com aproximadamente 100 bilhões de neurônios, ele é tão incrivelmente complexo que existem várias áreas da ciência — como a neurologia, a psicologia e a psiquiatria, por exemplo — dedicadas em estudá-lo.
E graças aos avanços da ciência, vários mitos relacionados ao cérebro humano acabaram sendo derrubados — ou compreendidos — nas últimas décadas, e o pessoal do site how stuff works criou uma interessante lista sobre vários fatos relacionados ao nosso órgão-mestre que foram desmistificados. Confira:

1 – O cérebro é descolorido

Fonte da imagem: shutterstock
Talvez você já tenha visto cérebros preservados em algum laboratório ou nas aulas de ciência, e apesar de terem um aspecto esbranquiçado e até amarelado dentro dos vidros, a verdade é que é possível identificar várias cores nesses órgãos. Para começar, grande parte dele é cinza, portanto, não é a toa que muitas vezes as pessoas se referem a ele como “massa cinzenta”.
Essa massa é composta por diferentes tipos de células — entre elas os neurônios — e pode ser observada em diversas porções do cérebro e da medula. Existe também a substância branca, composta por fibras nervosas que conectam a massa cinzenta. Outra estrutura “colorida” é a substância nigra, que apresenta essa coloração devido à neurommelanina, sem contar os vasos sanguíneos que completam a paleta de cores presentes no cérebro com o vermelho.

2 – O cérebro ganha ruguinhas quando aprendemos algo novo

Fonte da imagem: pixabay
Você já percebeu todas aquelas voltinhas e rugas que existem no cérebro? Elas são o resultado de milênios de evolução, já que os humanos foram desenvolvendo cérebros maiores para desempenhar todas as funções que nos diferenciam de outras espécies. Contudo, esses órgãos ficam acomodados em um espaço bem limitado e, por isso, eles foram se dobrando sobre si mesmos para caber na caixa craniana.
Tanto que, se fosse possível esticar todas as dobrinhas, o cérebro de um adulto ficaria do tamanho de um travesseiro! Contudo, ao aprender algo novo, não ganhamos mais rugas. Logo no início do nosso desenvolvimento, o cérebro apresenta um aspecto liso e uniforme, contudo, já com 40 semanas de gestação, os fetos contam com todas as voltas e dobras que terão por toda a vida.

3 – Decapitados pensantes

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia
Você já ouviu falar que os cérebros continuam ativos durante algum tempo mesmo depois de alguém sofrer uma decapitação? Esse mito surgiu na época em que guilhotina era utilizada como ferramenta das execuções, e os boatos sobre cabeças piscando sozinhas circulavam entre a multidão. Inclusive existem testemunhos de médicos da época sobre respostas bem específicas dos executados, que apresentariam movimentos de pálpebras, lábios e pupilas.
Contudo, hoje em dia a maioria dos especialistas afirma que esses movimentos são meramente reflexos, em vez de respostas conscientes dos recém-decapitados. Ao cortar o fluxo sanguíneo — e consequentemente de oxigênio —, o cérebro entra imediatamente em coma e começa a morrer, e a perda de consciência ocorre em 2 ou 3 segundos. Assim, embora seja possível que o cérebro fique ativo, na verdade, é muito pouco provável que isso ocorra.

4 – Os humanos contam com o maior cérebro do reino animal

Fonte da imagem: shutterstock
Embora os humanos sejam as criaturas mais inteligentes da Terra, isso não significa que os seus cérebros também sejam os maiores. Aliás, muitos animais são capazes de usar seus “tutanos” para desempenhar algumas das funções que nós também desempenhamos, como desenvolver ferramentas, mostrar empatia com relação a outros bichinhos e solucionar problemas, por exemplo.
Para que você tenha uma ideia, o cérebro humano pesa mais ou menos o mesmo que o cérebro de um golfinho, ou seja, 1,4 quilo, enquanto que o de uma baleia cachalote — que, por sinal, é menos inteligente que um golfinho — pesa cerca de 7,8 quilos. Já o cérebro de um Beagle pesa aproximadamente 72 gramas, enquanto que o de um orangotango pesa 360, e os dois animais são inteligentes.
Entretanto, embora mais inteligência não signifique necessariamente mais volume, existe sim uma relação entre a massa do cérebro e a massa corporal de determinada espécie. A proporção de peso do cérebro com relação ao peso corporal nos humanos é maior do que em outros animais, ou seja, os nossos cérebros proporcionalmente pesam mais.
Além disso, também contamos com algumas estruturas mais desenvolvidas, como o córtex cerebral, por exemplo, que é — proporcionalmente — o maior de todos os mamíferos e o responsável por funções como a memória, a comunicação e o raciocínio.

Mais mitos sobre o cérebro:

  • Ouvir música clássica — mais precisamente às obras de Mozart — não deixam as pessoas mais inteligentes;
  • Quando tomamos porres homéricos, não dizimamos milhares de neurônios;
  • Os seres humanos não utilizam apenas 10% de sua capacidade mental;
  • O uso de drogas não cria buracos no cérebro, mas é capaz de fazê-lo envelhecer extremamente depressa.

Você sabia que existe uma cerveja feita com café?

Você sabia que existe uma cerveja feita com café?
Pode não ser exatamente uma novidade (inclusive, algumas cidades brasileiras já vendem a iguaria), mas a cerveja de café é, no mínimo, curiosa. Recentemente, uma marca japonesa levou para o oriente o sabor do café para encorpar receitas de cerveja e saquê, o que garantiu uma enorme visibilidade da bebida em veículos internacionais.
O projeto da Anchor foi criado para arrecadar fundos para as vitimas do enorme tsunami que atingiu a região em 2011. Mantendo as garrafas já existentes na fábrica para diminuir os custos de produção, a empresa apenas apostou em um rótulo muito mais moderno, com um estilo minimalista.
O responsável foi o consagrado designer japonês Nendo e o resultado tem chamado a atenção por todo o mundo. A aplicação de pequenas etiquetas que ilustram o grão de café dá o toque especial à bebida que, embora seja relativamente comum por aqui, passou a ser uma febre por lá.
Fonte da imagem: Divulgação/NendoAlém disso, as pequenas etiquetas colocadas de forma aleatória garantem que cada embalagem da bebida seja única. Com grãos de café adicionados aos tonéis de cerveja durante a fermentação, os fabricantes obtém sabor e aroma intensos, bastante diferente do comum.
Para quem ficou curioso e quer experimentar a bebida, a marca brasileira de cervejas especiais Colorado – famosa por criar misturas de sabor único, como as cervejas com mel, mandioca e rapadura – disponibiliza em algumas redes de varejo a Demoiselle, cerveja que leva café da região de Alta Mogiana em sua composição.

A mesa mais incrível de todas

Apenas:

Os produtos mais incríveis da ACME [infográfico]

Os produtos mais incríveis da ACME [infográfico]

Quem nasceu antes de 1995 certamente se lembra dos desenhos em que o Papa-Léguas aparecia sendo perseguido pelo Coiote, que nunca atingia os objetivos. E, se esse é o seu caso, você também deve se lembrar de que ele nunca fazia os seus planos sozinho, pois sempre contava com a ajuda de produtos diversos, que prometiam ajudá-lo nas mais variadas situações.
É claro que estamos falando da American Company Making Everything (Companhia Americana que Faz Tudo, em inglês), muito mais conhecida pela siga ACME. A companhia fabrica desde fósforos até explosivos poderosos, trajes de voo e equipamentos especiais de locomoção e também age como importadora e transportadora. Uma corporação digna de competir com a Samsung, que também trabalha em muitos segmentos.

Armadilhas e outras trapaças

Nos desenhos do Coiote, era muito comum vermos o personagem tentando capturar o Papa-Léguas com a ajuda de uma grande quantidade de produtos ACME. Alguns dos produtos mais simples que ele já utilizou eram apenas alimentos para pássaros (que poderiam distrair o perseguido) e outras armadilhas comuns — encontradas também na vida real.
Fonte da imagem: Reprodução/PoliceMag
Mas isso vai muito além do que podemos encontrar por aí. Estamos falando de Looney Tunes e suas maluquices. E, nesses desenhos, a ACME realmente se superava para produzir os melhores produtos de todos os tempos. Ótimos exemplos eram as tintas especiais fabricadas pela corporação, como a tinta invisível e a tinta túnel.
Isso mesmo... Você se lembra delas? O primeiro exemplo era utilizado para fazer com que os personagens ou objetos ficassem completamente escondidos nos cenários — muito melhor do que qualquer tecnologia que esteja sendo desenvolvida atualmente. O segundo serviria para enganar o Papa-Léguas e fazer com que ele batesse, para facilitar a captura, mas na verdade a tinta fazia com que túneis realmente aparecessem no meio do deserto

Trajes de voo e veículos de caça

Um dos momentos mais icônicos da história do Coiote acontece quando ele decide comprar um traje de voo. Na versão original, em inglês, é possível ouvir o anunciante dizer: “your lifetime warranty”. Essa é uma piada com a garantia do produto, pois muitos produtos norte-americanos eram vendidos com garantia vitalícia, mas o traje da ACME tem garantia até o consumidor morrer — o que poderia acontecer muito rápido.
Fonte da imagem: Reprodução/Alanism
Além desse produto, a ACME também forneceu vários outros equipamentos de voo para o Coiote. Isso inclui foguetes, monociclos a jato e outros veículos que podem causar explosões muito sérias. Por sorte, o Coiote é apenas um desenho e jamais vai ser morto de verdade, pois somente milagres poderiam deixar o personagem vivo após os acidentes que ele sofre.

Explosivos que não acabam

A ACME possui um catálogo completo de explosivos e outros materiais capazes de causarem estragos a tudo que atingirem. Bombas comuns, kits de explosão para iniciantes, nitroglicerina de altíssimo poder destrutivo e fósforos especiais estão disponíveis para qualquer personagem que precisar realizar uma ou outra detonação por aí.
Fonte da imagem: Reprodução/The Cultural Gutter
Mas o mais engraçado é que todos os explosivos do mundo podem ser acionados com um detonador padrão da ACME. Isso mesmo, basta a alavanca ser pressionada para que todos os equipamentos consigam realizar destruições completas. Bem, é claro que isso nunca funciona com o Coiote, mas é o que a empresa fabricante promete.

Outros produtos e personagens

Não é só das compras do Coiote que a ACME mantém a sua receita. Há vários outros desenhos em que a corporação também aparece. Em geral, os personagens que consomem os equipamentos da empresa são os caçadores. Isso inclui Hortelino Troca-Letras e Marvin, o marciano. Este segundo tem todas as suas armas fabricadas pela ACME.
Fonte da imagem: Reprodução/Ammoland
No catálogo interplanetário estão a Pistola Desintegradora, o Rearranjador de Átomos e a Pistola Espaço-Tempo, que transforma qualquer animal em seu ancestral evolutivo — como o Pernalonga, que é transformado em um cruel coelho pré-histórico. Assim como acontece com os equipamentos do Coiote, os do Marvin também não resultam em sucesso nas caçadas.

A melhor transportadora do mundo

Sempre que o Coiote precisava de algum produto, realizava as encomendas pelo correio. E bastava colocar a carta de pedido na caixa postal e aguardar alguns segundos para receber os equipamentos, onde quer que estivesse. Isso só era possível graças à ACME, que, além de fabricar tudo o que se pode imaginar, também é a melhor transportadora do mundo.
E esse mesmo processo se repetiu por décadas e mais décadas, pois somente em 2003 foi realizada uma compra de maneira diferente. No filme Looney Tunes de Volta à Ação, o personagem Coiote (sempre ele) é visto realizando uma encomenda pela internet. A entrega é igualmente veloz.
.....
Você se lembrava desses produtos incríveis que a ACME fabricava? Bem, por mais que eles sejam todos muito interessantes, é preciso lembrar que eles nunca funcionaram 100%. Há rumores de que o próprio Papa-Léguas seja o dono da empresa e por isso conheceria todos os segredos e brechas dos equipamentos. Será que isso é verdade? Qual é a sua teoria?

A biblioteca dos livros que nunca foram escritos

A biblioteca dos livros que nunca foram escritos
Seja por diversão, como um exercício criativo ou como uma maneira de provocar autores e leitores, é fato que alguns escritores citaram contos, romances e outras obras de autores que nunca chegaram a existir. Alguns desses livros foram apenas citados, outros ocupam um lugar central em uma obra, causando até curiosidade nos leitores.
Os contos de Sherlock Holmes, as histórias de Jorge Luis Borges e os textos de François Rabelais são algumas das obras em que é possível encontrar referências falsas. A seguir, você confere uma seleção com os principais livros que nunca foram escritos:

Sherlock Holmes

Quem leu as aventuras de Sherlock Holmes, o famoso detetive criado por Arthur Conan Doyle, deve se lembrar de que uma das atividades preferidas do personagem era passar seu tempo livre escrevendo tratados e compilações de seus conhecimentos.
De acordo com o site Quo, esse hábito teria rendido ao personagem títulos como “A arte da investigação”, “Sobre as diferenças das cinzas do tabaco”, “A utilidade dos cães no trabalho do detetive” e “Sobre a escrita enigmática”. Logicamente, esses livros não passam de fruto da imaginação de Conan Doyle e jamais chegaram a ser escritos, mas não deixam de fazer parte da biblioteca imaginária da 221B, na Baker Street, em Londres.
Fonte da imagem: Pixabay

“Necronomicon”

Se tivesse existido, o “Necronomicon” teria sido um livro de histórias macabras. O referido autor da obra seria Abdul Alhazred, um árabe do século 12 que teria enlouquecido depois de vagar por quatro anos em cavernas subterrâneas. A história conta que o livro teria sido escrito com sangue e encadernado com pele humana.
No entanto, todos esses detalhes não passam de invenção do escritor norte-americano H. P. Lovecraft. As primeiras referências apareceram no conto “O Cão”, publicado em 1922, e seguiram por toda a obra do autor. Lovecraft foi o responsável por descrever a cronologia de Necronomicon e contar como, através dos séculos, a obra teria passado pelas mãos de monges, tradutores e colecionadores.
Com tantos detalhes, muitos curiosos foram em busca do livro inexistente. Em 1943, Lovecraft confessou em uma carta ao seu editor que a obra era falsa e havia sido inventada somente para dar mais credibilidade às suas histórias macabras. Mesmo com essa confissão, os fãs de literatura de horror continuaram a buscar o livro demoníaco.
Fonte da imagem: Pixabay
O portal Quo ressalta ainda duas curiosidades sobre o texto fictício: o renomado autor argentino Jorge Luis Borges teria sido um dos fãs curiosos a visitar diversas bibliotecas de Buenos Aires em busca do livro maldito quando tinha apenas 16 anos.
Outro caso aconteceu na Universidade de Sorbonne, em Paris, em 1971. René Chalbaud, cátedra da universidade, teria encontrado uma ficha que indicava a existência do livro da biblioteca. A notícia se espalhou e dezenas de pesquisadores foram até a universidade motivados pela descoberta, mas tudo não passava de uma pegadinha de um dos alunos da instituição.

“Herbert Quain”, Pierre Menard e H. Bustos Domecq

Além de acreditar no Necronomicon, Jorge Luis Borges foi um dos principais escritores que ajudou a propagar a existência de obras falsas em seus textos literários. O caso mais bem-sucedido se deu no texto “Exame da obra de Herbert Quain”, em que o autor discute o trabalho do escritor fictício afirmando que teria lido as obras. Uma rápida pesquisa no Google mostra que muitos acreditaram na existência desse autor e ainda buscam indícios de seus livros.
No conto “Pierre Menard, autor de Quixote”, o autor também brinca com a existência de um escritor francês, o próprio Pierre Menard, cujo paradeiro nunca foi encontrado. Ainda, em parceria com o Adolfo Bioy Casares, outro autor argentino, Borges criou a figura de H. Bustos Domecq, que acabou se tornando um pseudônimo para lançar as obras escritas pelos dois autores.
Fonte da imagem: Pixabay

O catálogo de John Donne

Muito antes de todos os autores citados acima, o site Quo relembra que o poeta inglês John Donne teria inventado um catálogo de obras fictícias que teriam sido escritas por autores renomados. A obra ganhou o título de “Catalogus librorum aulicorum incomparabilium et non vendibilium”.
Na lista, o autor relacionou 34 volumes imaginários. Entre eles, um teria sido escrito por Pitágoras e outro intitulado “Proposta para a eliminação da partícula ‘não’ dos Dez Mandamentos”, supostamente de autoria de Martinho Lutero, figura importante do protestantismo.

Tratados sociais

Para escrever as obras “Gargântua” e “Pantagruel”, o autor francês François Rabelais teria lançado mão de textos imaginários que teriam sido escritos para satirizar os costumes da época em que viveu. O mais interessante não é nem o fato de Rabeleis ter inventado as obras, mas sim o conteúdo sobre o qual o autor teria lido para compor seus romances.
“Ars honeste petandi in societate” era supostamente um tratado acerca da maneira adequada de soltar pum em público. “De modo cacandi” falava como uma atividade fisiológica tão comum como fazer as necessidades poderia ser elevada ao estatuto de arte. Por fim, “Campi clysteriorum” era um manual fictício que ensinava como colocar um supositório.
Fonte da imagem: Pixabay

“O que vemos no mundo”, de Benjamin Schianberg

Em um de seus romances mais aclamados, “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, o escritor brasileiro Marçal Aquino inventou um autor e uma obra que deram o que falar. Ao longo do romance, o protagonista Cauby relembra diversas passagens do livro “O que vemos no mundo”, cuja autoria é dada a Benjamin Schianberg, referido no romance como “o filósofo do amor”.
De acordo com a coluna de Mauricio Stycer, o autor brasileiro teria tido todo o cuidado de criar um título e um personagem que ainda não tivessem aparecido no Google para dar mais credibilidade ao seu texto e evitar qualquer tipo de confusão. O resultado foi que uma editora do Rio de Janeiro, depois de não ter conseguido localizar o paradeiro do filósofo do amor, telefonou para Marçal Aquino e pediu ajuda para entrar em contato com Schianberg, já que havia o interesse de publicar o livro no Brasil.
. . . . .
E você, conhece mais alguma obra que poderia ser incluída nessa biblioteca de livros que nunca existiram?
http://www.megacurioso.com.br/

Praticantes de Parkour iluminam Bangkok com roupas de LED [vídeo]


O vídeo acima, produzido por Frank Sauer, mostra o que acontece quando três praticantes de Parkour (Free Running) — atividade na qual o objetivo é se mover o mais rápido possível de um ponto a outro — decidem percorrer as ruas cheias de luzes coloridas de uma cidade vestidos com roupas cobertas de lâmpadas de LED.
Como se não bastasse as acrobacias executadas pelos três rapazes do filme serem incríveis, as pequenas lâmpadas espalhadas pelos seus corpos tornam os movimentos ainda mais interessantes. O clipe foi realizado em Bangkok, na Tailândia, e o maior desafio do produtor foi criar as roupas de LED.
Segundo Sauer, o macacão desenvolvido para os rapazes precisava ser resistente o suficiente para suportar o impacto dos saltos e manobras, e ao mesmo tempo iluminar de forma adequada os locais percorridos pelo trio.

Veja o comercial de ração para cachorros mais incrível de todos os tempos

O vídeo a seguir contém cenas inadequadas para quem tem problemas com excesso de fofurice.


Veja o comercial de ração para cachorros mais incrível de todos os tempos








Você foi uma daquelas crianças espoletas que sonhava em bancar o Macaulay Culkin em “Esqueceram de mim”? O menino peste que marcou a infância das crianças dos anos 80 – e talvez até das de hoje – se vingava dos ladrões que tentavam entrar na casa da família e, muitas vezes, usou algumas técnicas da chamada Máquina de Rube Goldberg, que, para quem não sabe, consiste na realização de atividades simples por meio de engenhocas grandiosas.
Como se não bastasse esse trauma de infância, o Mega Curioso vai, agora, fazer com que você se sinta pior por nunca ter feito alguma coisa assim tão bem arquitetada: cachorros fizeram isso. É lógico que as imagens a seguir devem ter sido feitas com vários cortes, mas o que importa mesmo é o resultado.
Trata-se de um comercial da marca de ração para cachorros Beneful. O vídeo foi lançado há poucos dias e já está fazendo sucesso devido ao seu alto nível de “fofurice”. Assista às imagens a seguir e depois nos conte o que achou delas. E, se um dia você já conseguiu fazer uma gambiarra desse tipo, por favor, conte-nos também.

Conheça o guarda-chuva sem cabo. Será que essa moda pega?

Conheça o guarda-chuva sem cabo. Será que essa moda pega?





Guarda-chuvas são objetos comuns, sem muita graça, embora tenham grande utilidade. Do mais rico ao mais pobre, do extremo asiático ao mais latino dos ocidentais, todos têm um guarda-chuva. E quem não tem, empresta, improvisa, acha na igreja ou no consultório do dentista. Quem não tem, talvez tenha acabado de perder, pois mais trivial do que ter um guarda-chuva é perder ou esquecer um guarda-chuva.
E, de repente, alguém se propõe mudar o design desse que é um dos objetos mais tradicionais do mundo. Como assim? Pode isso? Digamos que você fosse um designer e tivesse que criar um novo modelo para guarda-chuvas, o que faria? Será que teria alguma possibilidade de ousadia além da cor, do material usado, do formato da capinha?

Nubrella

Fonte da imagem: Reprodução/ObviousMag
Que tal criar um guarda-chuva sem cabo? A ideia, que a princípio parece bizarra demais, não só já foi tida por alguém como, de fato, saiu do papel. O projeto, conhecido como Nubrella, uma brincadeira com a palavra inglesa umbrella, que significa guarda-chuva, traz às ruas o primeiro desses itens sem um cabo, mas com alças que funcionam como uma espécie de mochila e um protetor que parece um capuz maior e mais resistente.
Em todo o mundo, já foram vendidas milhares de unidades, fazendo do Nubrella um negócio em crescimento, mas que ainda precisa de uma mãozinha na procura por investidores. O dono da ideia, Alan Kaufman, explicou que seu invento não pretende substituir os guarda-chuvas tradicionais, mas promover uma proteção extra às pessoas que enfrentam chuvas e nevascas a caminho do ponto de ônibus, por exemplo.
Com uma proteção como essas, suas mãos poderiam ficar abrigadas em seus bolsos ou, ainda, carregar algumas sacolas na volta do supermercado sem que para isso você tivesse que parecer um malabarista. O produto é apresentado em diferentes modelos e tamanhos, tendo um específico para crianças, por exemplo. O nubrella pode ser adquirido online e custa o equivalente a R$ 178. Você compraria?

Coelho aranha


Habilidoso, tal qual um ninja!

Conheça Kenny, o primeiro tigre albino com síndrome similar à de Down

Conheça Kenny, o primeiro tigre albino com síndrome similar à de Down





É de conhecimento mundial que a ação do homem na natureza tem gerado problemas graves, tanto nas florestas quanto nas espécies animais. Em uma dessas tentativas de mudar o curso natural da reprodução de tigres albinos, nasceu Kenny, o primeiro de sua espécie com uma falha cromossômica que resultou em uma síndrome similar à de Down.
Kenny foi resgatado em um cativeiro particular nos Estados Unidos, onde o criador estava cruzando tigres irmãos para a reprodução.
Fonte da imagem: LiveLeak
De acordo com o LiveLeak, a demanda por animais considerados exóticos — como os tigres brancos — para colecionadores, zoológicos e parques tem aumentado a cada dia, e os criadores arriscam a reprodução dos animais ideais da espécie, com focinho grande, olhos azuis e pelos brancos.

Riscos ignorados

Fonte da imagem: LiveLeak
Entretanto, o resultado pode não ser o esperado e até triste, como aconteceu no caso de Kenny, pois os tigres brancos nascidos em cativeiro já possuem uma genética limitada devido aos seus genes recessivos. Dessa forma, o cruzamento desses animais pode gerar filhotes com uma taxa surpreendentemente alta de deformidades e problemas de saúde.
No caso de Kenny, esse risco foi ainda maior, pois ele é resultado de cruzamentos entre irmãos no cativeiro; por isso, o animal tem limitações físicas e mentais importantes, sendo considerado o primeiro tigre com uma síndrome similar à de Down, nos seres humanos. Além disso, Kenny tem o focinho mais curto e achatado, olhos afastados, cabeça mais larga e dentição deformada.
Logo abaixo, você pode conferir um vídeo de Kenny com uma trilha sonora que não combina em nada com a seriedade da situação que muitos animais estão vivendo.

Confira 5 instrumentos musicais supercuriosos


Confira 5 instrumentos musicais supercuriosos

Quando você pensa em instrumentos musicais, quais são os primeiros a vir à sua mente? Muito provavelmente seriam objetos como violão, piano, guitarra, baixo e bateria, não é mesmo?
Assim, que tal conhecer mais objetos e engenhocas estranhas capazes de produzir sons musicais? O pessoal do site TopTenz.net publicou uma lista bem interessante, e você pode conferir uma seleção desses instrumentos a seguir:

1 – Bazantar


Com 29 cordas a mais do que os contrabaixos comuns, o Bazantar realmente é um instrumento curioso. Desenvolvido por Mark Deutsch, todas essas cordas vibram em harmonia com as cinco comuns, criando a impressão que estamos ouvindo um grupo inteiro de cordas tocando ao mesmo tempo. E, se parece difícil tocar o contrabaixo convencional, imagine só esse aí!

2 – Didgeridoo


Você provavelmente já deve ter visto alguém tocando o curioso instrumento acima, que foi criado pelos aborígenes na Austrália. Aliás, acredita-se que este seja o instrumento de sopro mais antigo do mundo e, apesar de sua simplicidade e de ele produzir apenas uma espécie de zumbido alto, quando as vozes humanas são incorporadas o resultado pode ser bem interessante, como você pode conferir no vídeo acima.

3 – Órgão de estalactites


O incrível instrumento acima se encontra instalado nas cavernas do Vale do Shenandoah, na Virgínia, e foi desenvolvido por Leland Sprinkle, um matemático do Pentágono na década de 50. O órgão é considerado como o maior instrumento musical do mundo, ocupando uma área de mais de 14 mil metros quadrados!
Sprinkle demorou três anos para selecionar as estalactites específicas que ressoassem nos tons e acordes desejados, instalando pequenos cabeçotes de borracha que “tocam” essas formações quando as teclas do órgão são acionadas. Sensacional, não é mesmo?

4 – Nanoguitarra

Fonte da imagem: Reprodução/TopTenz.net
Bem, você provavelmente teria que ser do tamanho de um “microbiozinho” para poder tocar a guitarra da imagem! Com apenas 10 micrômetros de tamanho total, o nanoinstrumento acima foi criado por pesquisadores da Universidade Cornell, nos EUA, e é aproximadamente do mesmo tamanho de uma célula humana. Além disso, ele conta com seis cordinhas que podem — pasmem! — serem tocadas através de um microscópio de força atômica.

5 – Órgão marinho


O interessante instrumento musical do vídeo acima foi construído na Croácia, às margens do Adriático, e é o primeiro órgão do mundo que é tocado pela brisa e pelas ondas do mar. A instalação foi criada pelo arquiteto Nikola Basic, e o constante movimento do vento e das águas faz com que as notas diatônicas nunca parem de agraciar os ouvidos dos turistas que visitam o local para presenciar um dos pores do sol mais belos do mundo.
http://www.megacurioso.com.br/

Nerd :Calculadora converte seu dinheiro para moedas de ficção científica...Com isso, você pode gastar o seu dinheiro no universo de Harry Potter ou de Star Wars sem levar prejuízo.


Calculadora converte seu dinheiro para moedas de ficção científica


Imagine que, por conta de uma falha na realidade, você acabou sendo transportando para o universo da sua série de ficção preferida — pode ser que você se torne amigo do Capitão Kirk ou um guerreiro do jogo Skyrim. O problema é que todo o seu dinheiro continua “normal”, sendo que você não teria fundos para continuar vivendo, já que a moeda desse mundo é outra.
É claro que, na situação descrita acima, você não teria como utilizar o computador para poder se salvar, mas há uma calculadora digital que acabaria com esse problema. O nome dela é “Intergalactic Exchange Bureau” e pode ser acessada clicando aqui. Dessa maneira, o seu dinheiro pode ser convertido para a moeda de diversas histórias diferentes.
Para que isso seja possível, você deve colocar o valor desejado na parte de “Currency Database”, escolher a moeda atual e a moeda para qual o seu dinheiro deve ser convertido. Há a possibilidade de escolher entre os universos de Star Trek, Star Wars, Fallout, The Sims 3, Skyrim, Harry Potter, entre outros.
Infelizmente, a ferramenta só trabalha com libras esterlinas, euros e dólares americanos. Isso quer dizer que a moeda brasileira — o real — não pode ser utilizada, mas isso não tira a graça da brincadeira, já que você pode fazer a conversão real.
http://www.megacurioso.com.br/

Tenso :Links para ver enquanto sente saudade da escola ;''só que não''!

Esculturas feitas em 18 toneladas de areia
-25-impressionantes-fotos-feitas-no-momento-perfeito.htm
-6-casas-ficticias-que-foram-construidas-na-vida-real.htm
Como entreter um cão por horas
Tirando uma sonequinha
A “difícil” vida de gato
Castelo de cartas de verdade
-9-produtos-que-foram-batizados-com-nomes-infelizes.htm
-amazon-japonesa-contrata-bodes-para-trabalhar-nos-seus-jardins.htm
-as-multiplas-faces-de-um-cenario-na-visao-de-um-artista.htm
-lotus-esprit-carro-submarino-de-007-sera-leiloado-na-inglaterra.htm
-pato-manco-ganha-pe-modelado-em-impressora-3d.htm
-voce-comeria-uma-fatia-desse-bolo-em-formato-de-dexter-.htm
-professor-usa-a-mesma-roupa-ha-40-anos.htm
 


 




Dose de fofura :Corgis se vestem muito bem !


Esse post não exige muitas explicações. Apenas veja-o completo e entenderá!